Siamo tutti italiani

Por mais que eu tenha pensado no passado que eu não era descendente de italiano, esse ano cheguei à incrível conclusão que eu sou.
Sabe, não que o meu relacionamento com a minha família seja aquele ideal, onde todos se dão bem, tem piada, palhaçada e no fim do dia tá todo mundo conversando denovo. MAS, porém, contudo, entretando, todavia, eu sou italiano nessa parte, posso não estar contente com as atitudes de alguém mas não humilha essa pessoa da minha família, você estará pedindo pra aguentar a ira de uma família italiana.

Sabe aquela trilogia levemente famosa, um tal de Poderoso Chefão (aquele que eu li o livro e gostei muito), então, as famílias emigrantes italianas acabaram por ser assim, todos tomando conta de todos pois saíram pra terras com culturas diferentes, o mesmo motivo pelo qual os Gangsters das décadas de 30/40/50 nos EUA eram TODOS italianos, é essa história de tomar conta da família.
Claro, sou italiano até na fala, 82db eu falando no meu tom “normal”, sabe, 82db é praticamente o ruído da Av Paulista durante o dia, e aqui parafraseando o povo da minha sala na faculdade, ALTO PRA CARALHO.

Então fica aí a dica, não humilhe ninguém da minha família.